quinta-feira, 22 de março de 2012

O planejamento do culto Infantil

A atividade com crianças exige uma abordagem diferenciada e estratégias específicas.

A igreja sempre se ocupou em ensinar a todos os grupos sociais o Evangelho de Jesus. Os primeiros apóstolos deixaram outros (discípulos) em seu lugar e assim o Reino de Deus foi se estendendo pelo mundo. Essa pregação tem sido o trabalho constante dos chamados por Deus que empenham suas vidas para ensinar a grandes e pequenos a mensagem salvadora de Cristo. São pessoas que tem por objetivo proporcionar uma visão integral e coerente da vida, relacionada com o Criador e com os seus propósitos.

Quando esses servos são enviados as crianças, devem possuir convicções profundas quanto ao compromisso e responsabilidade, tendo em vista que a atividade com crianças descreve dois focos: o primeiro é o evangelismo, que está relacionado com a necessidade de alcança-las e levá-las a um compromisso com Jesus Cristo, o Salvador e Senhor. O segundo é o discipulado, que diz respeito ao crescimento na Palavra de Deus ao compartilhamento da fé, através dos cultos infantis e escolas dominicais.

A proposta de cultos infantis surge como resposta à necessidade de se estabelecer uma unidade no Corpo entre adultos e crianças. O Senhor quer um corpo (igreja) unido, com todas as partes e em funcionamento harmonioso.

Nesse sentido, as crianças não podem viver isoladas. Precisam congregar-se. O Senhor nos manda congregar-nos, e promete uma benção especial aqueles que lhe obedecem: "Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles", Mt 18.20. As crianças também pertencem ao Corpo de Cristo, tendo Jesus como cabeça. É direito delas serem levadas a conhecê-lo, aprender as verdades fundamentais da Bíblia, congregarem-se para adorar, seguindo um planejamento eficiente que respeite a sua faixa etária, desperte o interesse, a curiosidade e o regozijo de cultuar ao Senhor.

Umas das maneiras do líder espiritual cumprir a vontade do Senhor é estabelecer dias para as crianças realizarem o culto infantil e delegar um líder para assumir essa grande tarefa, pois os cultos vão provocar nelas um despertamento quanto à necessidade de estar em contato com Deus para que suas vidas sejam transformadas e aprendam a adorar, amar, servir e sejam treinadas para que no futuro assumam liderança.

CONSIDERANDO

Um aspecto importante a considerar é que o homem foi criado por Deus para adoração. Se a criança não adorar a Deus, ela irá prestar culto a heróis da TV e cinema, ídolos e coisas do mundo.

A tarefa de liderar o culto infantil é uma responsabilidade muito grande porque envolve o relacionamento do pastor e demais líderes eclesiásticos. As relações pessoais do líder exigem sempre uma postura de integridade e sinceridade, o que favorece uma operação organizacional.

Durante os intervalos entre os cultos é importante realizar de reuniões com frequência curta e diálogos. Agindo assim, o líder infantil sentir-se-á seguro, sabendo como se ajustar dentro da estrutura eclesiástica, e como deve proceder com sua equipe e responsáveis das crianças.

Na carta aos Hebreus o autor advertiu: "Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros", Hb 13.17.


PASSOS ANTES DOS CULTOS

1) A organização - O motivo pelo qual muitos cultos infantis não funcionam bem, em muitas das nossas igrejas, deve-se a falta de organização.  O maior problema centraliza-se nos líderes. Eles pensam que tudo pode funcionar com base no improviso. Há, sem dúvida, grande capacidade nos professores e possibilidade de improvisação nessa atividade, mas, sem organização, quase tudo o que se propõe e se tenciona está fadado ao fracasso. Portanto, uma boa organização é fundamental para o funcionamento do culto.

2) Coordenação - Na igreja é importante que haja uma coordenação para a realização dos cultos infantis. A função do coordenador é acompanhar de perto o crescimento espiritual das crianças e da equipe por meio de bate-papos informais.
3) O planejamento - Os seguintes tópicos devem ser observados ao se planejar um culto: a) agenda de cultos; b) Organização da equipe; c) Decisões sobre o culto - No processo de organização, muitas decisões precisam ser tomadas, daí os envolvidos no processo devem se questionar: Que assunto e vou ensinar? O que vou preparar? O que as crianças vão aprender? Quais as atividades vou planejar para o culto? Quem vai participar? Quais os recursos que vou precisar? Que estratégia usarei para motivar a participação das crianças? Como arrumarei o templo? Que perguntas vou fazer, após a história bíblica? Como deverei proceder caso as crianças se agitem?


ROTEIRO DE ATIVIDADE

O culto cristão é composto de uma série de ações. São atos conjugados, praticados pelo adorador, que em conjunto formam o culto. São indispensáveis ao culto verdadeiro:

1) Abertura - A recepção das crianças é muito importante. Receba-os com muita alegria, preparando uma atividade de quebra-gelo que proporcione um ambiente agradável a todos. Como exemplo, convide uma criança para relatar fatos, experiências e situações que estiveram envolvidas durante a semana.

2) Louvor - Inicie o culto com cânticos. Oriente-as que Deus nos dá motivos de alegria e louvor, bem como as vozes para adorá-Io. As atividades relacionadas com a música dão mais satisfação as crianças. Quando bem conduzidas, constituem um excelente recurso para o aprendizado da Palavra de Deus.

3) Oração - Enfatize a importância de uma criança realizar a oração. As crianças precisam conhecer o eu valor, pois a oração tem vencido obstáculos, guerras e curado enfermidades de todas as espécies e ressuscitado mortos.

4) Leitura Bíblica - A Bíblia deve ser apresentada sempre no início, com muita reverencia à Palavra de Deus. A Bíblia é muito diferente de outros livros porque para ser compreendida é preciso a iluminação do Espírito Santo.

5) Memorização de Versículos - A memorização de versículos é de valor eterno, pois a Palavra é viva e eficaz. Só ela da o conhecimento de Deus. A Palavra memorizada conduz à criança a salvação ( 1 Pd 1.23). Versículos decorados podem livrar os pequeninos de pecar (Sl 119.9) e prepará-los para pregar as Boas-Novas aos coleguinhas (1 Pd 3.15), e fortalecer a fé (Sl 119.28).

IDÉIA >> Para ser apresentada, confeccione uma grande Bíblia de papelão e coloque em local de destaque. Na hora da memorização do versículo, retire uma tira de papel com o texto escrito em letras grandes.

Confeccione também faixas com palavras coloridas, para que cada grupo etário fale uma, ao final todos falam juntos. Escolha o texto de acordo com o tema do culto. O dirigente deve saber o texto de cor, como o seu significado; leia o texto diretamente da Bíblia. Explique as palavras difíceis. Explique o ensino principal do versículo de maneira clara e objetiva. Use um método diferente para a repetição do versículo, e repita sempre com a referência.

Especial - Esta é uma atividade para descontrair e alegrar as crianças. É para ficar com aquele gostinho de "quero-mais". Faça uma rápida apresentação dramatizada com algumas crianças ou professores, utilizando fantoches ou um musical animado com louvores conhecidos.

Testemunhos - Os testemunhos são uma forma de gratidão pelo amor de Jesus em curar enfermidades, salvar, abrir portas de emprego para os pais, resolver problemas difíceis na família e levar a vitórias no boletim escolar. Enfim, os testemunhos irão glorificar ao Senhor, edificar as crianças, desenvolver a confiança em Deus e motivá-Ias a caminhar na estrada da fé.

Oferta - A oferta faz parte do culto. Quando nada se oferta a Deus, o culto não pode ser perfeito. "E ninguém apareça vazio perante mim", Ez 23.15. Um culto sem oferta é um culto antibíblico, pois as ofertas representam a expressão de gratidão do adorador. As crianças precisam aprender que quando se recebe de Deus, devemos dar daquilo que Dele recebemos.

Relacione para os pequeninos a utilidade das contribuições: fazer construções, ofertar as famílias carentes, comprar bancos, cadeiras, pagar a luz, água, materiais em geral para a igreja, auxilio pastoral, comprar materiais de limpeza e higiene etc. Sempre leia para elas antes de ofertar um versículo sobre a importância da contribuição.

História bíblica - Muitos líderes são excelentes contadores de histórias porque trouxeram consigo esta aptidão; outros precisam adquiri-Ia através de muito esforço e preparo. Sem dúvida, é possível ser um bom contador de histórias, basta gostar de ler, gostar de crianças e reconhecer a importância da história para elas.
A pessoa responsável pela história precisa estar consciente de sua importância. Deve transmitir as emoções através da voz sem gritar e sem falar muito baixo. Falar com clareza, utilizando uma linguagem simples e objetiva; evitar repetições desnecessárias, pois chamam atenção da criança. Por isso tome cuidado com os chamados "tiques" de linguagem, como por exemplo: certo, ma!? Então, aí, entendeu?

Convite para decisão - Ao apresentar a mensagem salvadora as crianças, devemos convida-las para que aceitem Jesus como o seu Salvador. Esse momento é importantíssimo, então o apelo deve ser claro. Os pequeninos precisam entender o seu significado. É recomendável que um material visual apropriado seja utilizado: cruz, céu, igreja, coroa etc.


Perguntas bíblicas - Tem por finalidade proporcionar as crianças momentos de alegria que enriquecem o conhecimento bíblico e dinamizam o culto ao final da história.

Distribuição de lembrancinha e lanche - Crianças gostam muito de receber lembranças, mesmo que sejam simples.

SUGESTÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS

Os recursos são elementos indispensáveis que facilitam a compreensão do tema, em conjugação com os métodos e todos os tipos de atividades no culto. Aliados a práticas adequadas exercem um papel preponderante no momento de apresentar as etapas do culto.

Oração - Trenzinho para levar os pedidos de oração.

Apresentar a Bíblia - Utilize caixa de fósforo com resumo dos livros dentro; Bíblia de papelão para ser destaque na hora da memorização do versículo. Retirar uma tira de papel com o texto escrito em letras grandes. .

Louvor - Preparar transparência com louvores e histórias bíblicas.

Ofertas - Antes de ofertar, as crianças devem saber o destino de suas contribuições; assim ficarão motivadas a contribuir com alegria. Prepare gravuras com visuais de missionários e suas necessidades, e apresente à igreja. Outros visuais, exemplo: materiais de limpeza, ornamentação do templo, instrumentos musicais e aparelhos de som, material de construção (se houver obras na igreja) e diversos materiais do templo.

Cada criança levará um visual para casa e, no próximo culto, ela devolverá o seu pedacinho com a oferta.

Convite ou lembrancinhas - Distribua tarefas com a equipe e faça: porta bala - cestinha feita com garrafa descartável; Cofre missionário - baú feito de material emborrachado; Sol - Para tema de assunto que fale de Jesus, a Luz do mundo; Igrejinha com versículo; Panela com versículo bíblico - tema: multiplicação dos pães; Móbile – Nascimento de Jesus; baú do Tesouro com versículo ou convite; álbum de figurinhas - A cada culto recebe-se uma figura.

Oração - Realize uma dramatização rápida para chamar atenção para o momento de falar com Deus. Pode-se encenar alguém pedindo socorro. Duas pessoas não ajudam, mas a terceira pessoa fala que também não pode ajudá-lo, e diz o nome de alguém que pode socorrê-la: Jesus! Assim, encerra-se a encenação, explicando às crianças que só Jesus pode ouvir o seu pedido de socorro. Distribuir mãozinhas coloridas de acordo com os pedidos de oração: Azul- vício na família; Vermelho - enfermidade; A mão natural- para agradecer; Amarela - necessidades financeiras (desemprego); Branca-melhorar o boletim escolar.

História bíblica - Confeccionar maquete da criação, painel sobre o universo, as belezas do fundo do mar; fazer maquete da cidade de Belém, magos e o estábulo do nascimento de Jesus; dramatizar a importância do perdão (Mt 5.22-26).

O professor pode pinçar do texto bíblico diversos objetos que ali aparecem. Assim a história vai ser melhor compreendida e o texto enriquecido com os recursos apresentados. Por exemplo: contar a história do carcereiro de Filipos utilizando molhos de chaves antigas, espada, correntes, tocha, gaiola, prisão e um tamborzinho na historia que fala sobre terremoto.

Material para ornamentar o ambiente - Bandeiras com visuais evangelísticos, faixas com versículos bíblicos, flâmulas com frases objetivas: Jesus é nosso amigo; Jesus está aqui; Somos do Reino dos Céus!; Jesus é meu!; Jesus é Senhor!; Jesus é Rei; Jesus está vivo.

Recurso evangelístico - Gotas de sangue - apresentar dizendo que somente elas limpam o coração. Céu - apresentar dizendo que será o nosso futuro lar; Cruz - quando falar sobre a Redenção. Igreja - o lugar de adoração e comunhão com Deus e com o próximo. Túmulo vazio - quando falar sobre o poder da morte e a vitória de Jesus sobre ela. Presente - quando falar que Jesus é o maior presente de Deus para a humanidade (Jo 3.16).

Extraído: Manual de Obreiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recadinho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...